Posts Tagged ‘cd’

Single da Semana: Shakira – “Whenever, Wherever”

14/12/2009

Sereia feelings

Que Shakira é sensacional, todo mundo sabe. Seria perda de tempo elogiá-la neste post. Portanto, vamos ao que interessa. Este single, de 2001, marca a fase inglesa da maior personalidade da Colômbia depois de VALDERRAMA. Whenever, Wherever, a faixa, é excelente, com sua vibe ORIENTE MÉDIO e sua flautinha andina no final. Também pudera: foi composta pela própria Shakira e pela GLORIA ESTEFAN, musa eterna.

A segunda faixa do cd é Suerte, que nada mais é do que a música anterior cantada em espanhol. Claramente superior, já que Shakira em sua língua natal é imbatível. Ouvir frases como “Suerte que mis pechos sean pequeños/Y no los confundas con montañas” derrubam até o mais ferrenho dos detratores da moça. A próxima canção é Whenever, Wherever, só que dessa vez numa versão TV EDIT, que não faz sentido algum. Talvez ela fale alguma coisa PROIBIDONA na versão original e por isso a TV censurou. Pode ser. Não faço a menor questão de saber o motivo.


Machu Picchu é logo ali

Por fim, a faixa de encerramento é uma balada, daquelas que só a colombiana fatal sabe fazer. Inevitable é uma aula de começo calminho e refrão pegado, como toda música decente do universo deveria ser. Perto do final, entra um órgão muito em chamas e uma guitarra encorpada, só pra voltar pro violão depois e fechar os trabalhos de forma magistral.

Shakira, tu é foda.

Anúncios

Single da Semana: Guns N’ Roses – “You Could Be Mine”

18/11/2009

Guiar com uma escopeta: entendo

Primeiro de uma série de singles do Guns que aparecerão por aqui, You Could Be Mine foi tirado da trilha do fatalíssimo EXTERMINADOR DO FUTURO 2. Quem já viu o clipe dessa música sabe o poder que ela tem no filme, DIMULINDO tudo. Está tudo aqui: o baixo demoníaco do Duff, a guitarra estridente do Slash, os rolos do Matt Sorum (divago um pouco: Steven Adler perguntou ao público no workshop: “Vocês já imaginaram se EU tivesse gravado a bateria de You Could Be Mine?” Tenho até medo da paulada que sairia). Todo mundo conhece a faixa de cor, o que dispensa maiores análises.

A outra música do single é a que abre o Use Your Illusion II (o azul, para os leigos) e é a única em que Steven Adler realmente toca: Civil War. Um verdadeiro épico da paz (pior frase da história), essa faixa é um contraponto interessante à BRUTALIDADE de You Could Be Mine. Diria que esse tipo de canção é a especialidade do Axl, junto com todas as outras baladas maravilhosas dos UYI.

O resumo desse single é que ARNOLD + AXL = ALEGRIA SUPREMA. Uma trilha perfeita para um filme perfeito e mais um compacto antológico para a minha coleção.