Because he can

Não sei se Mike Patton ainda tem alguma coisa a provar, se ele ainda tem algum sonho que não concretizou. Só sei que, ao reativar o mais famoso dos seus projetos, ele provou para todos que é o cara mais foda do mundo. É como se ele declarasse: “Eu sou um gênio supremo, eu canto como eu quiser, eu grito como eu quiser e deixo vocês pensando que, se o ingresso custasse mil reais, vocês pagariam”.

Pois foi exatamente essa a impressão que tive no Pepsi On Stage, ontem à noite. Depois de um show interessante de abertura a cargo da Véspera, que teve a heróica tarefa de se apresentar em frente a fãs impacientes do Faith No More e acabou se saindo bem com um ótimo cover de When Doves Cry, do Prince, e uma irretocável versão de Come Together, dos Beatles, a noite histórica começou.

Abrir um show com Midnight Cowboy, a última faixa do melhor disco deles, o soberbo Angel Dust, já foi uma jogada de mestre. Certamente Patton me viu na platéia pela cortina bordô e decidiu, em cima hora, que precisava dar início aos trabalhos com esse petardo. Emendar From Out Of Nowhere também não ajudou a minha saúde, pois senti o fôlego se esvaindo com os pulos ensandecidos.

O que aconteceu depois é um pouco nebuloso, já que assim que ouvi os primeiros acordes de Land Of Sunshine chamei num headbanging pegado e gritei cada frase da letra. Quando achei que as coisas se acalmariam, eis que veio Caffeine, o maior metal da história. Tocar as duas primeiras músicas do Angel Dust em sequência foi cruel demais comigo. Cogitei seriamente abandonar o local e pegar o T-5 para casa, mas logo voltei a mim e pude seguir curtindo o maior show que Porto Alegre já viu.

Descrever cada música tocada na ordem seria impossível, pois nada jamais se comparará ao que foi visto e ouvido lá. Por isso encerrarei dizendo que a noite foi tão perfeita não porque rolou um ótimo espetáculo de uma banda competente. A noite foi perfeita porque Mike Patton decidiu que ele podia fazer o maior show de todos os tempos.

E ele SEMPRE pode o que quer. Para a nossa sorte.

– Midnight Cowboy
– From Out of Nowhere
– Land of Sunshine
– Caffeine
– Evidence
– Surprise! You’re Dead!
– Last Cup of Sorrow
– Ricochet
– Easy
– Midlife Crisis
– Epic
– Caralho Voador
– The Gentle Art of Making Enemies
– King for a Day
– Ashes to Ashes
– Just a Man
– Chariots Of Fire/Stripsearch
– As the Worm Turns
– This Guy’s In Love With You
– We Care a Lot

Tags:

4 Respostas to “Because he can”

  1. Bruno Galera Says:

    Também perdi minha vida logo no início, mas a estocada FATAL foi o cover de This Guy’s In Love With You.

    E ASHES TO ASHES. Porra. PORRA.

  2. Antenor Says:

    EGS novamente escrevendo posts sobre shows que não aconteceram.
    MIDLIFE CRISIS

  3. Antenor Says:

    Em tempo: curti tanto o show que lembro até de músicas que não foram tocadas.

  4. Leo Mereu Says:

    Bruno tentou me dar um beijo em Easy, hahahahaha.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: